Inauguração da segunda Central de Testagem irá facilitar a identificação de novos casos de coronavírus no Maranhão”, afirma Gil Cutrim22

  • 23 de março de 2020
  • 0

[caption id="attachment_690" align="aligncenter" width="1032"] Foto: Divulgação (Agência de Notícias do Maranhão)[/caption]

Nesta semana começou a funcionar, no Maranhão, a segunda Central de Testagem para casos suspeitos de infecção pelo novo coronavírus. O local funciona de segunda a sexta-feira, das 8 horas às 18 horas, no Viva da Beira Mar e tem capacidade para atender aproximadamente 100 pessoas por dia.

Funciona da seguinte forma: quem buscar o atendimento no Centro de Testagem vai passar, primeiro, por uma pré-triagem e, só depois, será feita uma entrevista, por um profissional de saúde que utiliza o sistema do Ministério da Saúde, para realizar a notificação do possível caso suspeito. É aí que o sistema acusará se a pessoa terá ou não que fazer o exame.

Se não for considerado um caso suspeito, a pessoa irá receber orientações médicas e a recomendação de isolamento domiciliar, indicado como principal medida para conter a transmissão do vírus.

O deputado federal Gil Cutrim ressalta que, agora, o estado conta com duas centrais de testagem: uma na Policlínica Diamante e a outra, inaugurada nesta segunda-feira (23), localizada no espaço anexo ao Viva da Avenida Beira-Mar.

“Agora, com este dois centros de testagem, ficará bem mais fácil de identificar os casos da doença no estado e, assim, ter um controle maior do avanço da infecção.”

É importante ressaltar que este exame só deve ser feito se a pessoa suspeitar que está com o vírus. Além disso, há outras duas recomendações: só deve procurar o serviço as pessoas que, nos últimos 14 dias, retornaram de viagem de área com coronavírus confirmado ou que tiveram contato com uma pessoa confirmada ou com suspeita de coronavírus e que apresenta sintomas como febre, tosse e coriza.

222

Como se prevenir do coronavírus22

  • 16 de março de 2020
  • 0

O que é coronavírus? (COVID-19)

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19). Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa. A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.  

MEDIDAS DE PREVENÇÃO

Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar bem as mãos (dedos, unhas, punho, palma e dorso) com água e sabão, e, de preferência, utilizar toalhas de papel para secá-las. Além do sabão, outro produto indicado para higienizar as mãos é o álcool gel, que também serve para limpar objetos como telefones, teclados, cadeiras, maçanetas, etc. Para a limpeza doméstica recomenda-se a utilização dos produtos usuais, dando preferência para o uso da água sanitária (em uma solução de uma parte de água sanitária para 9 partes de água) para desinfetar superfícies. Utilizar lenço descartável para higiene nasal é outra medida de prevenção importante. Deve-se cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Também é necessário evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas. Para a higienização das louças e roupas, recomenda-se a utilização de detergentes próprios para cada um dos casos. Destacando que é importante separar roupas e roupas de cama de pessoas infectadas para que seja feita a higienização à parte. Caso não haja a possibilidade de fazer a lavagem destas roupas imediatamente, a recomendação é que elas sejam armazenadas em sacos de lixo plástico até que seja possível lavar. Além disso, as máscaras faciais descartáveis devem ser utilizadas por profissionais da saúde, cuidadores de idosos, mães que estão amamentando e pessoas diagnosticadas com o coronavírus. Também é importante que as pessoas comprem antecipadamente e tenham em suas residências medicamentos para a redução da febre, como ibuprofeno e paracetamol, controle da tosse, como xaropes e pastilhas, além de medicamentos de uso contínuo. Produtos de higiene também devem ser comprados e armazenados como uma medida de prevenção. No caso das crianças, recomenda-se que os pais ou responsáveis, adquiram fraldas e outro produtos em uma maior quantidade para que se evite aglomerações em supermercados e farmácias.     222