Desafios da educação em tempos de pandemia22

  • 23 de junho de 2020
  • 0

É crescente o número de jovens que vivem a sensação de que 2020 será um ano letivo perdido. Dentre as dificuldades de adaptação à nova rotina, e os problemas de acessibilidade, o ensino tem se tornado ineficiente. Uma pesquisa da UNESCO aponta que 32% dos alunos não têm um ambiente tranquilo para estudar. Calendários estudantis tumultuados, e as desigualdades sociais ainda acentuam as dificuldades para acompanhar o ano escolar. A pesquisa também aponta que 34% dos alunos estão pessimistas em relação ao futuro. Para grande parte da população, o estudo é a única arma para alcançar uma vida melhor. Por isso, adiar o sonho por causa da pandemia tem sido uma frustração difícil de lidar. Devemos nos questionar onde está a prioridade e onde está o principal gargalo na educação neste momento. Temos que olhar para as dificuldades do presente, pensando no que fazer para superar os desafios desta pandemia. Combater a falta de estímulo à educação e promover plataformas eficientes são desafios a serem alcançados por pais, educadores e pelo governo. E para traçar diretrizes, nesta semana, o Plenário da Câmara vai analisar a medida provisória que prevê normas excepcionais sobre a duração do ano letivo. Você tem alguma sugestão? Acesse nossas redes sociais e contribua! Sua ideia pode fazer a diferença.222

Marreca Filho e Gil Cutrim vão coordenar bancada maranhense em Brasília22

  • 11 de junho de 2020
  • 0

A bancada maranhense, composta por 18 deputados e três senadores, escolheram, nesta quarta-feira (10), a coordenação da bancada do estado em Brasília. Após a escolha dos parlamentares, o novo coordenador, Marreca Filho, saudou o novo sub coordenador, deputado Gil Cutrim. "Parabenizo o meu colega, o deputado federal Gil Cutrim, pela nova missão de ser o sub coordenador da nossa bancada e peço a todos que lutemos sempre pela maturidade da unidade". Os dois parlamentares tem pela frente o desafio de unir esforços para que haja incrementos de recursos para ações que fortaleçam as políticas públicas do Estado, como, por exemplo, a destinação das emendas impositivas para áreas como resíduos sólidos, educação e saúde.222