Como se prevenir do coronavírus22

  • 16 de março de 2020
  • 0

O que é coronavírus? (COVID-19)

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19). Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa. A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.  

MEDIDAS DE PREVENÇÃO

Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar bem as mãos (dedos, unhas, punho, palma e dorso) com água e sabão, e, de preferência, utilizar toalhas de papel para secá-las. Além do sabão, outro produto indicado para higienizar as mãos é o álcool gel, que também serve para limpar objetos como telefones, teclados, cadeiras, maçanetas, etc. Para a limpeza doméstica recomenda-se a utilização dos produtos usuais, dando preferência para o uso da água sanitária (em uma solução de uma parte de água sanitária para 9 partes de água) para desinfetar superfícies. Utilizar lenço descartável para higiene nasal é outra medida de prevenção importante. Deve-se cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Também é necessário evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas. Para a higienização das louças e roupas, recomenda-se a utilização de detergentes próprios para cada um dos casos. Destacando que é importante separar roupas e roupas de cama de pessoas infectadas para que seja feita a higienização à parte. Caso não haja a possibilidade de fazer a lavagem destas roupas imediatamente, a recomendação é que elas sejam armazenadas em sacos de lixo plástico até que seja possível lavar. Além disso, as máscaras faciais descartáveis devem ser utilizadas por profissionais da saúde, cuidadores de idosos, mães que estão amamentando e pessoas diagnosticadas com o coronavírus. Também é importante que as pessoas comprem antecipadamente e tenham em suas residências medicamentos para a redução da febre, como ibuprofeno e paracetamol, controle da tosse, como xaropes e pastilhas, além de medicamentos de uso contínuo. Produtos de higiene também devem ser comprados e armazenados como uma medida de prevenção. No caso das crianças, recomenda-se que os pais ou responsáveis, adquiram fraldas e outro produtos em uma maior quantidade para que se evite aglomerações em supermercados e farmácias.     222

Gil Cutrim propõe criação de programa de auxílio psicológico a pessoas com depressão22

  • 4 de setembro de 2019
  • Comments are off for this post.

Pelo quinto ano, será celebrado no Brasil o Setembro Amarelo, data que reforça a necessidade de sensibilizar e conscientizar a sociedade acerca da prevenção ao suicídio, bem como o combate à depressão e outros problemas de saúde mental. Uma semana após apresentar um Projeto de Lei voltado a instituir o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Depressão, o deputado federal Gil Cutrim (PDT-MA) deu continuidade à causa ao apresentar, nesta terça-feira (3), o PL 4818/19, que propõe a criação do Programa de Auxílio Psicológico a pessoas com depressão em todo o País. Ao justificar o texto entregue à Câmara dos Deputados, o parlamentar ressaltou a necessidade de alertar e conscientizar a presença do Governo Federal através do Ministério da Saúde sobre a importância do investimento nos Estados e Municípios, pelo Programa proposto para o auxílio ao tratamento da população acometida com a depressão, causa indiscutível de incapacitação no mundo. “Este é um assunto que, infelizmente, ainda faz parte de um tabu na sociedade brasileira. A depressão pode pode levar a consequências trágicas, e por isso deve ser levado como um problema de saúde pública seríssimo que demanda medidas urgentes. Estimular o diálogo em busca de uma conscientização é essencial”, afirma Cutrim. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), nove em cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas. Outras pesquisas mostram também que o risco de suicídio é reduzido com a presença, por exemplo, de Centros de Atenção Psicossocial, os chamados CAPS. Para Gil Cutrim, isso mostra não só que políticas públicas podem ajudar a prevenir, como alerta para a urgência de investimentos nestes setores para a proteção das populações mais expostas. De acordo com o projeto, o atendimento psicológico propõe desenvolver uma rede de serviços de atendimento aos usuários que seja plural, com diferentes abordagens terapêuticas. “Com a dedicação de todos, poderemos ajudar aqueles que enfrentam esta silenciosa doença que atinge mais de 11 milhões de famílias brasileiras. Essa luta é de todos nós!”, defende o deputado.222