Bancada maranhense cobra continuidade nas obras da BR-13522

  • 12 de maio de 2020
  • 0

A BR 135 é a rodovia federal mais importante do Maranhão e a única via terrestre de ligação de São Luís para o continente. Quem já circulou por ela sabe a dificuldade que é. E quando chove, então? A situação fica ainda mais crítica. As más condições da pista são nítidas e os buracos são inúmeros – um atrás do outro. Em alguns pontos, os motoristas são obrigados a dirigir em zigue-zague e bem devagar, se não quiser estragar o veículo. Um trajeto de 45 quilômetros, por exemplo, que antes era feito em  aproximadamentemeia hora, agora é feito em cerca de 3 horas. Vale lembrar que a rodovia foi duplicada em janeiro de 2018. O grande problema é que essa obra foi entregue com 4 anos de atraso e custou mais de 500 milhões de reais aos cofres públicos. Isto quer dizer que ela teve um custo médio de vinte mil reais a cada metro da rodovia. Mesmo com todos estes gastos, em pouco tempo, a rodovia ficou com asfalto deteriorado, trincado, tomada por buracos e com falta de sinalização horizontal; sem contar que não ocorreu a conclusão dos serviços de repavimentação do trecho antigo. Foi então que o deputado Gil Cutrim decidiu garantir as boas condições de trafegabilidade na rodovia, e enviou um requerimento para o Ministério da Infraestrutura, solicitando algumas informações, com dados quantitativos e um plano de ação referente às principais rodovias do estado. Neste documento, foi citado que a deterioração extremamente avançada de vários trechos da BR-135 prejudicam a entrada e saída de abastecimentos, como combustíveis e demais insumos que vem pelos navios para escoamento pelo estado e país. Além disso, o parlamentar deu ênfase também para a questão de os alimentos, as medicações e demais mercadorias que são perecíveis ou com vencimento perto do limite e que muito se perde devido a não finalização da entrega via caminhoneiros e demais formas de entrega vai terrestre. Logo após Gil Cutrim enviar o requerimento para o Ministério da Infraestrutura, em fevereiro deste ano, a bancada maranhense solicitou uma reunião com o ministro Tarcisio Gomes de Freitas. Lá, eles discutiram a necessidade das obras. No mês passado, o ministro respondeu o requerimento de Gil Cutrim, dizendo que estava de em harmonia, de acordo com o deputado; mas a verdade é que muitas denúncias vem sendo feitas, sempre relacionados a trechos muito precários, sem condições de tráfego. Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), atualmente, estão sendo feitas as seguintes intervenções na BR-135/MA: restauração do segmento localizado entre o km 25 e km 38 (sentido decrescente); serviço de manutenção rodoviária  entreo km 0 e km 51; serviço de manutenção rodoviária entre o km 125 e km 199; e serviço emergencial entre o km 150,4 e km 166,4 (trecho crítico entre Matões e São Mateus). O deputado Gil Cutrim comemora a continuidade das obras, mas diz que muita coisa ainda  precisaser feita. “Fico muito feliz, claro, com a continuidade das obras na BR 135; afinal, este era um dos meus compromissos com os meus eleitores, de melhorar as condições das rodovias federais que passam pelo nosso estado. Mas, a verdade é que muita coisa tem que ser feita. Tenho recebido  inúmeras denúncias com fotos e vídeos, mostrando a realidade que os carros e caminhões passam, com vias completamente esburacadas. É preciso mudar isto urgentemente!” Já a obra de duplicação entre o km 51 e km 95 (lote 02) está paralisada, aguardando decisão judicial, pelo fato do trecho atingir dezenas de comunidades quilombolas. Desde 2017, organizações representativas desses povos reivindicavam no DNIT a realização de consulta prévia, livre e informada para continuação da obra. Por conta da demora da resposta do DNIT para as efetivas mudanças, o deputado Gil Cutrim redigiu um segundo requerimento, na semana passada, exigindo a imediata ação emergencial para recuperação da BR-135 e também de trechos da BR 222 e 316. O parlamentar, agora, aguarda a resposta do órgão.222